Técnicas de Produtividade para Escrever Mais (e Preparar-se para o NaNoWriMo)!

com Nenhum comentário

Ok, o NaNoWriMo está chegando e a meta de 50 mil palavras em um mês pode parecer mesmo assustadora. Mas não tema, separei algumas dicas de produtividade que você pode adotar para dar aquele gás e vencer o desafio!

 

Claro, claro. Independente de NaNoWrimo, são dicas que você pode utilizar sempre para melhorar a velocidade de escrita e sentir o progresso. Nada melhor do que chegar ao fim do dia com aquela sensação de realização, não é mesmo?

 

Para isso, dividi o artigo em duas partes: a primeira trata de técnicas famosas de organização de tempo (e que podem ser úteis independente da atividade); a segunda sobre técnicas próprias para a escrita.

 

Muitas das dicas para escrita já foram citadas em artigos passados, mas com novembro tão próximo, achei interessante trazê-las novamente sob a perspectiva de produtividade.

 

Preparado para acelerar suas palavras/minutos?

 

Organização de Tempo


 

Pomodoro

Essa daqui é a mais popular. Ela incentiva o foco durante curtos períodos, intercalando-os com pausas curtas. Assim você não se sente sobrecarregado com o trabalho e é mais fácil se comprometer a fazê-lo.

 

Coloque um cronômetro para marcar 25 minutos e, durante esse tempo, trabalhe em uma única tarefa com foco total. No caso, jogue-se à sua história como se não houvesse amanhã!

 

Finalizado o tempo, marque 5 minutos no cronômetro e descanse. Vá pegar algo para beber, faça alongamento ou ouça uma música, mas não entre em redes sociais nem veja emails.

 

Esse total de 30 minutos é um pomodoro. Após quatro deles, faça um pausa mais longa, algo entre 15 e 30 minutos e, então, recomece o ciclo.

 

A intenção é que com a prática você acabe percebendo quantos pomodoros são necessários para terminar suas tarefas. Importando isso para o NaNoWriMo, quantos pomodoros você precisa para bater a marca das 1667 palavras diárias.

 

Flowtime

Se você não curte ser pressionado pelo relógio, sendo forçado a interromper a tarefa a cada 25 minutos e tirar descansos de exatos 5, tudo bem. Eu mesmo não funciono no meu melhor com o Pomodoro, prefiro ser mais flexível.

 

E é exatamente de flexibilidade que se trata a técnica Flowtime. Ela oferece uma liberdade maior, sem que você perca o controle do progresso.

 

Anote a hora em que você começa a atividade. Então trabalhe nela, e somente nela, até que você precise de uma pausa. Anote a hora em que você parou e estabeleça um tempo de descanso (uns 10 minutos, talvez?). Se a pausa foi feita porque você foi interrompido, você pode anotar isso para quando for avaliar o seu progresso.

 

Depois do descanso, repita o processo.

 

Com base nos seus registros, você começa a entender melhor os seus picos de produtividade e o tempo que leva para fazer cada tarefa. Também começa a perceber em que hora suas pausas começam a ser mais longas e você começa a procrastinar.

 

É normal também que você trabalhe por períodos mais longos no começo do dia e lá pro fim da tarde já esteja precisando intercalar 10 minutos de trabalho com 10 de descanso para se manter em frente…

 

Deep Work

Essa é uma técnica proposta por Cal Newport para que você gerencie seu tempo de concentração de acordo com a demanda das atividades. Para isso, você deve dividi-las em dois tipos de trabalho: o profundo (Deep Work) e o raso (Shallow Work).

 

Deep Work são as atividades que requerem uma atenção concentrada para serem executadas: estudar, programar, compor uma música ou, é claro, escrever um livro.

 

Shallow Work, por outro lado, são aquelas que não demandam muito esforço cognitivo e geralmente são feitas com distração: checar as redes sociais, ler/responder emails, resolver problemas fáceis ou organizar dados no excel. Isso não significa que nenhuma dessas atividades seja importante, apenas que elas requerem menos atenção e dificilmente vão produzir algo de muito valor.

 

Assim sendo, a técnica pede para que você organize seus blocos de trabalho entre períodos de Deep Work e de Shallow Work, intercalando-os. Saiba exatamente quanto tempo irá destinar a uma atividade antes de começar e comprometa-se a trabalhar somente nela.

 

Mas prepare-se para os períodos de Deep Work com antecedência. Encontre um lugar apropriado, calmo e sem distrações. Estabeleça regras pessoais, como não usar o telefone, não entrar na internet e/ou não conversar com outras pessoas. Pense também em algumas regras de energização; caso se sinta cansado, o que você fará? Talvez pegar um café ou um lanche (é uma boa já deixar eles próximos ao seu local de trabalho).

 

Para iniciantes na técnica, o Cal Newport aconselha sessões de Deep Work de 1 hora. Conforme você for pegando prática, vá expandindo.

 

A Regra dos 10 Minutos

Essa daqui é para quando a procrastinação se instalar. E é extremamente simples: comprometa-se a trabalhar por apenas 10 minutos. Sério, só isso.

 

Depois desse tempo, você pode parar sem remorso. Contudo, é comum que dado o embalo inicial, você acabe estendendo o tempo e produzindo mais do que o esperado. O primeiro passo é sempre o mais difícil.

 

Técnicas para Escrita


 

Entre em Forma

Já falamos bastante sobre isso aqui no blog: a prática é fundamental. Escrever todos os dias mantém você constantemente aquecido, pronto para colocar as palavras pra fora com ou sem inspiração.

 

Ademais, isso treina você para as sessões ruins que certamente vão ocorrer. Mas você precisa passar por elas para chegar aos seus melhores dias…

 

Tratando-se do NaNoWrimo, é certo que você precise se lançar às palavras todos os dias para se manter no desafio. E se você não está com a prática afiada, é bom começar o quanto antes a treinar.

 

Pense no que Você vai Escrever com Antecedência

Ter um outline ajuda, é claro. Saber a ordem das cenas previne que você fique estagnado pensando no que podia ocorrer, porém eu também entendo que isso pode acabar estreitando demais a abordagem da sua história.

 

Mas com ou sem outline, é interessante você pensar na sua próxima sessão de escrita antes que sente para escrever. Mesmo que você não saiba o que vai acontecer daqui duas cenas, você deve saber o que vai escrever em seguida, justo?

 

Como eu escrevo pela manhã, gosto de tirar um tempo antes de dormir para pensar sobre essa(s) próxima(s) cena(s), esquadrinhá-la(s) na minha mente, imaginar as ações se desenrolando, os enfoques que quero dar e a mensagem principal que quero transmitir.

 

Esclarecer esses pontos, além de prevenir o Bloqueio, ainda pode lhe dar uma dose extra de empolgação!

 

Prepare sua Mente logo antes de Escrever

Tire uns cinco ou dez minutos antes de sua sessão de escrita começar. Durante esse tempo invoque o modo “escritor”. Afaste os pensamentos secundários e abra espaço para a Musa. Repasse o que vai ser escrito e estruture o resultado esperado em sua mente.

 

No artigo sobre o Hábito de Escrever Diariamente, falei sobre a importância dos rituais. Você pode estender um pouco esse período de preparação e acrescentar outras atividades. Naquele artigo eu citei três que me ajudam bastante a aquecer os pensamentos: ler, ficar em silêncio e escrever minhas reflexões diárias.

 

Preparar a mente também significa estar pronto para aceitar frases ruins e parágrafos sem sentido. E passar por eles sem se abalar, o importante é manter os dedos teclando.

 

Estabeleça o Tempo da Sessão

Independente se você for seguir uma das técnicas de produtividade mencionadas acima ou não, é importante você definir o tempo de sua sessão de escrita. Comprometa-se a não fazer nada além de escrever, mesmo que você fique olhando para a tela em branco.

 

Ah, e você já sabe, né? Afaste-se de distrações, coloque o celular longe e desligue o wi-fi, se precisar. Avise as pessoas que dividem o ambiente com você para esperarem sua sessão terminar antes de voltarem a falar com você.

 

Force-se a Colocar Alguma Coisa no Papel (qualquer coisa), e Pegue Embalo

Se os primeiros minutos já passaram e você ainda tá procurando uma boa frase para começar a sessão, desista dela. Escreva alguma coisa! Escreva uma frase, um parágrafo, terrível que seja, mas coloque no papel. Você vai ver que apenas manter os dedos teclando fornece um bom aquecimento para mente.

 

Não Revise

Deixa as palavras fluírem do jeito que vierem à mente. Vez ou outra um eco dos seus pensamentos pode soar melhor do que a frase original e é claro que você deve manter o registro. Porém se conseguir fazer isso sem voltar, apenas como uma notação para reparo futuro, você continua seguindo em frente e o embalo não é perdido.

 

Parar para revisar, não só impede o avanço, mas liga o modo “editor” em sua cabeça. Você logo estará julgando tudo o que acabou de escrever. Isso pode acabar lhe desanimando ou fazendo-o refletir profundamente sobre a ordem e a escolha das palavras…

 

Para vencer o NaNoWriMo, o tempo gasto com edição deve ser o mínimo possível. Todas as suas sessões devem ser focadas em avançar a história e isso significa apenas uma coisa: aumentar a contagem de palavras! Você não irá publicar o livro assim que o mês terminar, não é? Deixa a revisão para depois.

 

Mergulhe em sua história

Quanto mais imerso você estiver em sua história, mais facilmente enxergará as descrições necessárias, mais facilmente absorverá as personalidades dos personagens e ouvirá o que eles têm a dizer. Durante o tempo da sessão, permita-se esquecer do mundo, e transpire aquele que você está colocando no papel.

 

Já ouvi o caso de um escritor independente americano, Steve Windsor, que escreve em média 15 mil palavras por dia! Sim, absurdo…

 

Ele se compromete a escrever um livro em uma semana e gastar às demais no processo de revisão e edição. Em um mês ele consegue ir da página em branco para o livro publicado na Amazon! E a dica que ele dá para toda essa produtividade é simplesmente essa: esqueça do mundo e mergulhe na história.

 

Siga em Frente


Você precisa alinhar tempo, espaço e conteúdo. Essa é síntese do jogo. O NaNoWriMo não é algo fácil, mas é simples: basta escrever todos os dias.

 

Por mais disposto e comprometido que você esteja, ainda assim é provável que chegue lá pelo dia 16 e, ao olhar para trás, você vai achar que tudo está uma confusão. Talvez o seu personagem não tomando as melhores decisões, talvez seus diálogos estejam superficiais, talvez o roteiro esteja indo por um caminho muito distante do que você planejava…

 

Chore, se precisar, mas não desista. Não deixe a insegurança lhe paralisar. Espere o dia 30 chegar e passar e só então reveja o que foi feito com um olhar mais crítico.

 

No mais, complemente essas dicas com as descritas no artigo sobre “Como Vencer a Resistência” e, caso precise de uma ajuda adicional, dê uma olhada no nosso ebook “Desbloqueando a Escrita“! 🙂

 

Preparem-se, ficcionados, novembro está chegando…

Redes Sociais:

Natural de Floripa e, curioso pelos mistérios da natureza, acabou se formando em engenharia mecânica, sem nunca deixar de rabiscar suas histórias. Desenha com mais vontade do que habilidade, faz trilhas esporadicamente, curte um bom rock clássico e toca violão para as paredes. Adepto ao minimalismo ainda com tralhas a serem jogadas fora na próxima mudança. Jogador de RPG de mesa quando possível, mas se contenta sendo o narrador. Aos fins de semana, também gosta de levantar debates filosóficos sofistas. Blog Pessoal