Desafie-se a Escrever um Livro em Um Mês: NaNoWriMo!

com Nenhum comentário

Quanto tempo leva escrever um livro? Um ano? Dois? Dez? Alguns meses? E se eu dissesse que dá pra escrever um livro em um mês? E que, além de não ser uma insanidade, várias pessoas mundo afora fazem isso todos os anos?

 

E se eu dissesse que você mesmo, que está lendo, consegue fazer isso?

 

Escrever um livro em um mês é justamente a ideia de um dos eventos de escrita mais populares do mundo: O NaNoWriMo.

 

O Que É O NaNoWriMo


NaNoWriMo é uma sigla em inglês para National Novel Writing Month, que dá pra traduzir como “Mês Nacional de Escrever um Romance” (será que eu começo a chamar de MêNaEsRo? É, melhor não…). O título é bem auto-explicativo: a ideia é que, em todo o mês de novembro, cria-se o desafio de escrever um livro, mais especificamente um romance, em apenas trinta dias.

 

O que é, exatamente, “escrever um livro”? É, no período entre o dia primeiro e o dia 30 de novembro, escrever 50.000 palavras. É um alvo desafiador, porém alcançável. Não importa gênero: a ideia é só se empolgar com o seu trabalho, achar mais participantes, e trocar experiências.

 

O NaNoWriMo acontece desde 1999, e a edição deste ano provavelmente vai contar com centenas de milhares de participantes. Em 2016, foram mais de 380 mil participantes, dos quais pouco mais de quarenta mil venceram o desafio.

 

A maioria dos participantes é dos Estados Unidos, mas não tem problema: você pode escrever em português.

 

Por que Participar


Principalmente pela internet eu vejo muita gente querendo escrever um livro. Mas é difícil, é complicado, demanda tempo… Sim, tudo isso é verdade.

 

Então desafie a si mesmo! Coloque uma meta, converse com as pessoas que também estão tentando, quem sabe traga uns amigos com você. Escrever é uma coisa solitária, e o NaNoWriMo é um dos melhores períodos no ano para criar um espírito de comunidade. Compartilhe experiências, leia trechos das histórias dos outros, e veja o seu próprio progresso subindo, dia após dia. Quem sabe seja esse o pontapé inicial que vai te ajudar a criar uma rotina duradoura, e, com isso, elevar o nível do que você escreve.

 

A ideia não é necessariamente ter um livro pronto polido e lindo; é só ter escrito as 50.000 palavras. Provavelmente você terá um primeiro rascunho, o que já está ótimo. A parte mais difícil você já vai ter feito, e tudo isso em só um mês!

 

Vários autores saem do NaNoWriMo com um livro que acaba sendo publicado. No caso do Brasil, temos o exemplo do Thiago D’Evecque, que escreveu um romance, Limbo, num mês só.

 

O NaNoWriMo é basicamente uma meta, e uma meta é sempre três coisas: objetivo, valor e prazo. O caso é claro: você quer escrever um livro, de no mínimo 50.000 palavras, até 30 de novembro, 23:59. Cole isso na parede e acorde motivado.

 

Legal, mas como participo?


Eu ouso dizer que qualquer um que se deu esse desafio pessoal já está participando, mesmo sem anunciar nada a ninguém. O importante é escrever, pura e simplesmente.

 

Tá, maneiro, muito bonito, mas como eu encontro quem também tá participando, entendo melhor esse negócio, etc?


Bom, o primeiro passo é se registrar no site oficial do NaNoWriMo. Lá você cria uma conta, e, a partir do mês que vem, pode começar a colocar seu progresso diário. Você escolhe a sua região, e existe um lugar para ver e conversar com as pessoas próximas de você. Temos a região do Brasil, que conta atualmente com noventa e três escritores. Pouco, talvez, mas é um começo. No caso do Brasil parece que o grupo de facebook é mais ativo, com mais de dois mil membros. Fazendo o registro no site oficial e escolhendo a sua região, você encontra o link pro grupo.

 

O site oficial tem várias informações interessantes, postagens com as ideias gerais, diretrizes, dicas e fóruns de discussão, mas a maior parte deste material está em inglês. Se você domina a língua, vale a pena dar uma olhada.

 

Se Preparando


Este post está aqui hoje justamente por estarmos quase exatamente um mês antes do começo. A ideia era trazer o NaNoWriMo à tona para que você, Ficcionado, se prepare.

 

Como, exatamente?

 

A ideia do NaNoWriMo é começar do zero. Não ter nenhum tipo de outline, sentar na cadeira dia primeiro e começar algo totalmente novo. Nesse sentido, então, creio que todo mundo já está preparado.

 

O resto da preparação é mais psicológica. Separe um tempo por dia para escrever. É um mês: dá pra ficar sem jogar videogame por um mês, não dá? É um motivo nobre! Pegue um tempo bom todos os dias, eu diria que umas duas horas dá. Menos que isso só se você escrever bem rápido.

 

E este mês vá se exercitando, escrevendo textos menores, experimentando um pouco com a sua prosa. Escreva algumas histórias curtas, talvez. Experimente alguns dias da sua nova rotina. Pegue algumas writing prompts e aqueça os músculos criativos (na nossa página do facebook postamos uma nova writing prompt toda a segunda-feira!).

 

Escrevendo


50.000 por mês é uma meta razoavelmente pesada. Não espere ter que fazer isso para sempre, principalmente enquanto tem outra ocupação principal. Mas, neste mês, só neste mês, você vai precisar escrever 1666 palavras por dia para alcançar a meta. Muito? É, é razoável. Mas dá, confia em mim. É só sentar na cadeira, entrar na cabeça dos personagens e deixar a coisa fluir. Não se preocupe muito em fazer algo perfeito. Não se preocupe, em primeiro momento, nem em fazer algo bom: se preocupe em terminar. Escreva algo que te dá gosto, inflame-se com a paixão de escrever. O resto você analisa depois.

 

E enquanto escreve atualize o seu andamento pelo site, converse com os outros escritores, quem sabe coloque trechos do livro para outros lerem. Vai que você conhece alguém nessa, e você cria um grupo de escrita? Às vezes aquele seu vizinho escreve há anos, como você, e vocês só descobrem pelo evento.

 

Quando você terminar, a ideia é que você cole a sua história no site oficial, para que ele possa contar as palavras e definir se você é um vencedor. Ninguém vai ler a sua história, e ela nem fica armazenada, esse processo só conta as palavras. Fica tranquilo quanto a direitos autorais e tal. O site diz que o mecanismo de contar palavras deles não é bom para línguas latinas, então ele recomenda que você só gere o número de palavras com isso aqui e cole lá.

 

Não existe exatamente um prêmio para quem vencer o desafio. Quer dizer, o maior prêmio é ter terminado o seu livro, ter se superado. Mas de qualquer forma alguns patrocinadores dão descontos especiais em softwares e outras coisas para os vencedores. O Scrivener usualmente dá um desconto bom, mas este ano ainda não anunciaram nada para o NaNoWriMo (apesar de que você pode baixar a versão teste e usar por este mês de qualquer forma). Mas tem algumas coisas interessantes, como três meses de Evernote Premium!

 

Entretanto, isso é só uma parte pequena. A sua motivação deve ser escrever, não esqueça disso.

 

A Nossa Experiência


Falando bem pessoalmente agora, nós do Ficcionados nunca participamos do evento. Eu mesmo nem sei se já cheguei nessa meta de 50 mil por mês, mesmo nos meus melhores meses. E nunca tentei escrever algo tão curto (é, eu sou um pouco ambicioso com o tamanho dos meus livros…).

 

Será um desafio em vários sentidos. Este ano nós dois, em nossa busca incessante por ser autores melhores, aprender a escrever, conhecer gente, e entender melhor o mundo da escrita, participaremos do NaNoWriMo! Quem sabe até faremos alguns artigos mais pessoais do que de costume, falando da nossa experiência…

 

Então se prepare, Ficcionado! Daqui a menos de um mês você estará começando a maratona literária mais maluca e incrível do mundo! Eu confio em você, manda ver!

Seguir Thiago Loriggio:

Nascido em Floripa, graduando em engenharia mecânica (um curso que claramente tem grande foco em contar histórias), criativo inconsolável. Tem poucas coisas que Thiago gosta mais do que bolar alguma coisa, seja ela uma história, um projeto, um jogo, uma biografia para rodapé de site. Quando não está rabiscando no seu caderno quadriculado, anotando ideias, está lendo, jogando algo, ouvindo gêneros conflitantes de música (de The Cribs a Nujabes a Bach numa playlist só), ou percebendo que tem interesses demais. Tem um prazer especial em escrever, analisar coisas, e falar de si na terceira pessoa.Conheça o trabalho dele